Os 5 maiores mitos sobre o sono, segundo os cientistas

Dormir bem é muito importante, mas os mitos sobre o sono terminam prejudicando essa necessidade.

Há quem diga que um dos segredos para uma vida saudável é ter boas noites de sono.

E não é por acaso: dormir bem contribui para a melhora do metabolismo, aumenta a disposição e previne doenças crônicas.

Mas, para muitos cientistas, os efeitos do sono em nosso corpo ainda são um mistério.

E, para descobrir tudo sobre o assunto, um grupo de cientistas do sono – psicólogos, especialistas em ciência do sono, comportamento e saúde pública – de universidades como a NYU Langone, Universidade do Arizona e Penn State – usou o Google para encontrar alguns dos mitos do sono mais comuns. 

Os cientistas então fizeram uma consulta sentre eles para descobrir qual (ou quais) dos mitos tinha (ou tinham) apoio científico e quais eram falsos.

E veja que interessante: cada um desses cientistas do sono foi examinado; eles tiveram que ter pelo menos 20 artigos publicados e tiveram que ser citados em pelo menos 20 outros artigos científicos em periódicos revisados. 

Houve então um sistema de votação em múltiplos estágios para reduzir a lista de mitos àqueles que a maioria dos cientistas do sono concordou que eram de fato mitos. 

Todo esse sistema foi feito de acordo com o que é chamado de Método Delphi, que é projetado para chegar a um consenso em grupo.

Veja aqui os cinco maiores mitos do sono que eles descobriram:

Mito 1: Algumas pessoas só precisam de cinco ou menos horas de sono por noite

Os cientistas recomendam sete horas por noite e observam que a pesquisa disponível descobriu que dormir significativamente menos do que isso (menos de cinco horas) – pode gerar alguns efeitos colaterais desagradáveis, tanto mental quanto fisicamente. 

Mito 2: O ronco é chato (mas inofensivo)

Uma coisa é roncar quando você está com o nariz congestionado, mas o ronco diário não é apenas irritante – pode sinalizar sérios problemas de saúde, como apneia do sono, por exemplo.

A apneia do sono aumenta o risco de problemas cardiovasculares, incluindo ataque cardíaco e derrame.

Mito 3: Bebida alcoólica pode ajudar a dormir

O álcool pode ajudá-lo a dormir mais rápido, é verdade, mas também faz com que você seja muito mais propenso a acordar no meio da noite, e não conseguir dormir mais. 

Mito 4: não consegue dormir? Basta ficar na cama e o sono chega

Esta parece uma atitude sensata.

Mas a pesquisa indica justamente o contrário.

Se você está tendo problemas para adormecer, a melhor coisa a fazer é levantar-se, fazer o que quiser (como ler um livro) e voltar para a cama apenas quando estiver cansado.

Mas atenção: mantenha luzes baixas e relaxantes e evite a luz azul.

A luz azul emitida por dispositivos digitais como TVs, smartphones, computadores e tablets pode atrapalhar seu ciclo de sono.

Mito 5: se você se mexeu demais à noite, você não teve uma boa noite de sono

Os pesquisadores observam que é perfeitamente normal se movimentar à noite.

Não há relação alguma entre os movimentos noturnos e a qualidade do sono. 

Apesar de o sono adequado ser essencial para a saúde e o bem-estar, conseguir dormir as sete horas recomendadas por noite pode não ser tão simples assim.

Por isso, para melhorar a qualidade do seu sono, tente ir deitar-se todos os dias antes das 23 horas e tenha o cuidado de encerrar o contato com aparelhos que emitem luz azul (tablet, notebook, celular) pelo menos uma hora antes

[in:curapelanatureza.com]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *